Precisões para um 2019, no mínimo emocionante!!

 

Ninguém pode dizer que 2019 não será um ano diferente. Após 16 anos de governos populares (não podemos esquecer que Temer foi eleito com Vice de Dilma), temos um cenário novo. Incerto? Pode ser, mas novo.

E neste período de fim de ano começam as especulações de o que virá pela frente.

Ora, bola de cristal a parte fui fazer uma pesquisa e ver o que achava em termos de previsões para 2019 e após eliminar todas as notícias de astrólogos e profetas, separei aqui quatro previsões. Vamos a elas:

 

  1. Economia brasileira volta a crescer em 2019: A previsão dos 100 analistas financeiros consultados pelo Boletim Focus de 15 de junho de 2018 é de que o PIB brasileiro volte a crescer em 2019, em 2,7%.

 

  1. Inflação será reduzida lentamente: A inflação será menor em 2019, segundo previsão do Fundo Monetário Internacional. Para o FMI, o fato de haver muitos desempregados e de o PIB brasileiro estar abaixo do seu potencial são razões que pressionam a inflação para baixo.

 

  1. Desemprego deve cair pela primeira vez desde 2014: A Organização Internacional do Trabalho (OIT) acredita que o desemprego deve cair no Brasil em 2018 e 2019, algo que não acontece desde 2014. Segundo a projeção da entidade, em 2019 o número de desempregados será de 12,5 milhões, em comparação com 13,4 milhões de 2017. Em 2019, serão 12 milhões de desempregados, um número ainda menor.

 

  1. Taxa de juros será de 8% ao fim de 2019: A expectativa dos analistas consultados pelo Boletim Focus é de que a taxa básica de juros, ou Selic, termine o ano de 2019 em 8%. Apesar de uma leve alta em relação aos 6,5% atuais, a tendência é considerada como estável. Há um mês, o Boletim Focus estimava que a Selic seria de 7,5% no fim de 2019.

 

Bem, temos aí 4 boas notícias, e são previsões realizadas por fontes seguras e por especialistas. Mas e para o nosso mercado? Como o crédito vai crescer em 2019? Como será nossa inadimplência? Quais as novas leis que nortearão o processo de crédito? Como o governo vai influenciar nosso mercado?

Falando para o mercado de crédito, acredito que a notícia mais esperada para 2019 está na aprovação das regras do Cadastro Positivo no congresso, o que sem dúvida será um marco no processo de concessão de crédito, fazendo as empresas passarem a enxergar não mais só o negativo.

Especialistas indicam para 2019, um crescimento entre 9% e 12% na carteira de crédito. Sem dúvida, a partir da retomada da confiança, o crédito passa a crescer. Estudos da ACREFI, mostram que 66% das pessoas ouvidas estão confiantes com a recuperação do País. Essa é a primeira vez, desde 2015, que o índice fica acima de 60%.

Os sinais de crescimento do crédito já podem ser percebidos hoje. Já em 2018, mesmo com a crise ainda gerando impactos já pudemos ver uma retomada do crescimento das carteiras de crédito e do volume de concessões, conforme mostra os gráficos abaixo:

Principalmente no crédito destinado a Pessoa Jurídica, 2018 já mostrou uma reação da carteira que já deu sinais de retomada dos números de meados de 2016.

 

A Inadimplência

Falando em inadimplência, também acredito boas notícias. Já registramos em Set/18 o menor índice histórico olhando para Recursos Livres PF 4,93%:

E os 62 Milhões de inadimplentes? Sem dúvida este número assustador aos poucos será reduzido, porém acredito que ainda conviveremos com números altos, principalmente alavancados por alguns como Utilitie e telefonia, este último ainda com um troca de operadora pelo usuário ainda acelerada.

 

A Digitalização

É fato e não há volta, que as ferramentas serão cada vez mais digitais. A cada ano vemos o ingresso de mais bureaus de informações, e com o cadastro positivo regulado em 2019, ainda mais informação fará parte do mercado de crédito.

Sem dúvida viveremos uma indigestão por tamanha informação, passaremos ainda por uma fase onde precisaremos aprender como usar e como decidir corretamente com a informação mais abundante.

Na cobrança, continuaremos vivendo a automatização das operações. O ser humano, porém, deverá ser reinventado, sai o ser humano robotizado e entra o ser humano realmente humano, aquele que ouve o cliente que se coloca como mediador.

Enfim, não há quem não possa dizer, que 2019 será no mínimo um ano emocionante, cheio de novidades. Será um ano ainda onde colocaremos em prática todos os aprendizados obtidos com a maior crise da história do Brasil.

Sem dúvida não será um ano só de entusiasmo, será um ano onde sem dúvida os processos ganharão maturidade, um ano de crescimento sustentável.

Teremos um papel importante neste cenário e sem dúvida ganharemos muito com 2019.

 

Por Eduardo Tambellini