O que podemos/devemos esperar deste novo Brasil?

Afinal acabou a agonia. Sabemos enfim quem ira governar o Brasil pelos próximos 4 anos. Tristeza de 44% da população de um lado e do outro um misto de felicidade, excitação e porque não dizer um pouco de tensão. Eu como muitos escolhi o lado de Bolsonaro por um simples motivo: Não acreditava que o PT pudesse, após todos os desenrolares que passamos, governar o país de cara limpa. Votei como voto a muitos anos escolhendo o lado que pode evitar que o lado que me incomoda ganhe.

Inúmeros posts e mensagens falam da expectativa do brasileiro para o governo Bolsonaro. Muitos ainda se colocam na oposição, no medo de um abalo na democracia, no medo do fim de programas sociais e de direitos trabalhistas.

Acordei na segunda feira e e já ouvi os primeiros comentários jornalísticos e pensei. É hora de eu buscar fazer a minha parte, buscar aos poucos que eu atinjo, trazer uma reflexão a tona. E qual seria está reflexão?

 

Precisamos acreditar e participar do momento político, da mesma forma que participamos durante as eleições.

Nada foi concluído! Elegemos sim o futuro presidente, mas se o que mais nos preocupa é a democracia, façamos dela então, nossa arma para continuar imponentes e vigilantes para o que fará parte de nosso dia a dia a partir de 01/01/2019.

Somente com a aceitação e atenção de todos é que poderemos construir um país melhor.

Também ouvindo o rádio na manhã de segunda, pude acompanhar a entrevista do Astronauta, Marcos Pontes, o provável ministro de ciência e tecnologia, que falava sobre o que o ministério faz e como ele imagina seu trabalho. Sua fala me soou no mínimo como um tom de esperança, ouvindo-o falar que tecnologia está em tudo hoje em dia. Está na saúde, na segurança, na agricultura, etc. E que o ministério deve estar integrado a todos os outros no sentido de ampliar a tecnologia a todas as área do Brasil. Mais animado ainda quando ele que é conhecido apenas por ser astronauta, detalhou sem currículo: Engenheiro, pós graduado em Administração Pública, MBA em integração de sistemas e etc.

Se Bolsonaro cumprir suas promessas de campanha e realmente montar um ministério de notáveis, sem “vender” cargos, é hora sim de todos acreditarem e participarem da construção de um novo Brasil.

E nosso mercado, o mercado de crédito, como anda as vésperas de 2019.

O desemprego ainda assusta? Sim é claro? houve uma pequena queda pelos indicadores mais recentes. E os 63 milhões de negativados também. Tudo isso será mais um grande desafio do novo governo.

Desde o início do governo Temer, percebemos notícias mais animadoras. O crédito antes em queda voltou a crescer em todos os mais importantes produtos:

 

Vejam que até o financiamento de veículos que andava em queda, já mostra uma retomada do crescimento.

A carteira de crédito para pessoas jurídicas, uma das mais afetadas na crise, também se mostra em retomada do crescimento.

E o que essa notícia nos diz?
Crédito é Confiança !!!
E se o crédito voltou a crescer a confiança começa a dar as caras para um novo momento.

Por isso é hora de fazermos o máximo sejamos que for. Se cada um fizer sua parte, trabalhar duro, deixando de lado o faz de conta, a preguiça, e principalmente interagindo com o mundo político, dando sua opinião seja ela qual for.

Do outro lado o fantasma da inadimplência também vem se mostrando com sinais de melhoria:

O gráfico acima demonstra a inadimplência acima de 90 dias dos produtos financeiros PF reportados pelo BACEN.

E então, percebam o cenário:

Temos um presidente novo, com um discurso novo, um congresso renovado. Não foi o candidato ou o partido que você queria. Entendo, mas é hora de nos colocarmos ao lado do BRASIL e não de qualquer partido.

Tanto que votou no Bolsonaro, como que não votou; tem papel fundamental no monitoramento das ações de um novo governo. Pela primeira vez na história deste país o povo discutiu muito o momento político. Sei que pessoas próximas, amigos até irmãos brigaram feio para defender suas convicções.

Mas passou. Enfim, talvez você tenha visto o vídeo do Obama quando perdeu a eleição para Trump dizendo que na democracia é assim, dias você ganha, dias você perde. Passei 14 anos não me sentindo representado pelo PT. Agora mesmo ainda com a mesma insegurança histórica tenho me permitido colocar minha fé neste novo governo.

Estejamos atentos. Você pode pensar que sozinho você não é nada. Mas sua voz pode ser refletida a muitos. Portanto não faça oposição apenas por fazer. Faça oposição se realmente você estiver incomodado com as ações. Aja sempre que necessário. Aja no seu trabalho, no grupo de amigos ou com seus familiares.

A mudança começa com cada um de nós!!!

Um grande abraço

Eduardo Tambellini